09/08/2013

A Morte do Pescador


Por Eliano Silva

Há duas mortes: Uma, apenas os mais sensíveis percebem; a outra, o cortejo sinaliza até quem se recusa a saber. Existe a morte que é eterna e a que se morre cotidianamente.
“Jorge já estava morto ou não?”


Eis um livro em que as imagens são rapidamente projetadas na mente de quem o lê, ilustrando assim, a história de um pescador que “morre antes de morrer”. A narrativa de Mário Gerson, adjetivando cada movimento, com um lirismo aguçado, no durante o passar das páginas desta pequena novela, prende o leitor desde o prólogo (escrito pelo próprio autor) até a última página. É impecável.
A obra foi lançada em 2008, pela editora Queima Bucha, porem, somente agora a tive em mãos, quando por um acaso bom, desses que ocorrem para a nossa sorte, encontrei enquanto organizava os livros do BALE (Biblioteca Ambulante e Literatura nas Escolas). Li num suspiro, mas a inquietação dura até o exato momento, em que escrevo esse meu comentário. Sabe aqueles escritos que lhe dá uma porrada na cara? A Morte do Pescador é assim.











   

Um comentário:

  1. Meu irmão, massa, quero comprar faz é tempo pra eu ler, mas ainda não tive chance!

    ResponderExcluir

Seguidores